maio 16, 2013

por Danielli Guirado

Eu Vi: Somos Tão Jovens


Direção: Antonio Carlos da Fontoura
Roteiro: Marcos Bernstein
Elenco: Thiago Mendonça, Conrado Godoy, Nicolau Villa-Lobos, Sandra Corveloni, Marcos Breda, Laila Zaid, Bruno Torres, André de Carvalho, Sérgio Dalcin, Daniel Passi
Classificação: 4/5




Diferente de muita gente, não cresci ouvindo Legião Urbana (mas cresci ouvindo Pink Floyd, serve? rsrs Thanks, Dad!!) e só fui conhecê-los de fato aos 17 anos. Gostava de uma música aqui, outra ali e de certa forma admirava Renato Russo pelas letras legais e o inglês perfeito! Comprei o CD Acústico da MTV do Legião e adoro cada uma das músicas! 

Conhecedora bem superficial da história de Renato, logo fiquei animada com o filme sobre ele e estava louca para assistir! Eu e namorado finalmente fomos ontem e gostei bastante, viu? O começo, confesso, é bem chatinho, mas no embalo das músicas conhecidas que tocam no filme, como elas surgiram e a incrível interpretação de Thiago Mendonça (sendo repetitiva aqui, TODO MUNDO tá babando pelo cara, merecido, lógico! rs), tornam o filme dinâmico e logo delícia de se ver!

A personagem Ana foi uma surpresa boa, já que não sabia da existência dela na vida de Renato, e adorei a amizade sincera/colorida dos dois que o inspirou a escrever Ainda é Cedo tocada super lindamente para ela durante o filme! 



Outra coisa que havia percebido sempre no Acústico, mas no filme simplesmente foi esfregado na minha cara: como Renato era chato, hein!?!?! ahahahaha E nem vem me encher o saco que ele é uma lenda, representante do Rock no Brasil  e etc, que não vai mudar que o cara tinha um ego gigantesco e era extremamente mimado! rs Mesmo assim, isso não me fez desgostar dele e muito menos de suas músicas, tanto é que continuo com "Ainda é Cedo" martelando na cabeça (♫"uma menina me ensinooou, quase tudo que eu seei.."♫) e querendo sair para alguma festa dançar!

Aborto Elétrico e uma outra banda que não lembro o nome! rs
Ao começar a assistir achei que o filme iria mostrar o começo do Legião Urbana e a história de Renato com a AIDS, mas Foutoura se concentrou apenas em sua juventude e no começinho mesmo do Legião sem se estender muito e, lendo algumas entrevistas que ele deu, ele realmente falou que não quis abordar este tema que todos já sabiam como aconteceu e como terminou.

Achei ótimo e, quem sabe, um próximo filme possa abordar essa parte, mas por enquanto Fontoura nos deu uma parte do melhor de Renato Russo: adolescente virando adulto, descobrindo aos tropeções sua posição em relação ao mundo e fundando uma das maiores bandas de rock que veríamos por este país. 



O que eu gostaria agora é que este filme, assim como o do Cazuza, rodasse o mundo para mostrar aos gringos que Brasil não é só feito de futebol, mulher fruta e Michel Teló, partes que, de certa forma, são importantes também que mostram a alegria, bobeira e diversidade do povo brasileiro, mas também de muita história, muita luta, muitas tristezas e grandes lendas que surgiram em meio a tudo isso para não nos deixar esquecer o que é o Brasil de verdade, no dia a dia de ser brasileiro! =] 

Super recomendo o filme! =]






P.S.: Desculpa o sumiço gente, mas estou lendo o segundo livro de Guerra dos Tronos, aí por enquanto não vai ter resenha até eu terminar aquele monstro!! rsrs Quanto a posts com outros assuntos, a criatividade está meio faltando ultimamente! Mas quero muito gravar alguns vídeos para vocês, pelo menos! Tenho várias ideias, só falta gravar!! rsrs Não me abandonem!!!!  Beijocas!

Um comentário:

  1. Que legal ninina! Adorei seus comentários. E realmente o filme tem partes bem chatas, mas ele também é curtinho e o final vale muito a pena.

    Te amo!

    ResponderExcluir

Obrigada pela leitura! ♥

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Livros, Resenhas, Vídeos e outras Danis!