maio 09, 2013

por Danielli Guirado

Resenha: Extraordinário {R.J. Palácio}

Autor: R. J. Palacio
Editora: Intrinseca
Páginas: 320
Classificação: 5/5
 
August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
 

Desculpa o sumiço, gente! Estou com um "bloqueio" para escrever que não passa, sabe?? Aí está complicado produzir as resenhas, mas como Extraordinário eu estava doidinha para mostrar para vocês como é, estou aqui tentando tirar este bloqueio à força, afinal o que mais adoro é dividir com vocês as minhas opíniões sobre os livros que leio!!! Vamos lá?

August é um menino que perdeu total na "loteria" que é o nascimento: duas raras doenças genéticas se combinaram durante sua formação e ele nasceu com o rosto totalmente desfigurado. Agora, aos 10 anos de idade, depois de sempre estudar com a mãe em casa e com um histórico de várias cirurgias durante sua pequena vida, Auggie finalmente vai entrar para a escola e é o desenrolar deste novo desafio que acompanhamos na narrativa de R.J. Palácio.

Mesmo com esta dificuldade, Auggie se considera um garoto normal de 10 anos que ama Star Wars, adora  o Halloween, jogar em seu XBox e sua cadela Darth Daisy! O livro é narrado de diversos pontos de vista: começamos pelo August, passamos por sua irmã, Olívia, de 15 anos; amigos da escola e até o namorado da irmã! Achei incrível essa troca de pontos de vista, pois mesmo quando achamos que certas pessoas fizeram coisas condenáveis em relação ao August, vemos em seguida o ponto de vista delas e dá aqueles estalos de que nem tudo é preto no branco, as pessoas não são só más ou só boas, mas uma mistura confusa desses dois extremos tentando acertar a dose desse desafio que é viver em sociedade!

Assim como todo mundo, adorei o livro, o August é muito engraçado conseguindo fazer graça de seus problemas e com o único desejo de querer se enturmar e ser considerado "normal". Nem tudo são flores, claro! Crianças são cruéis e ele sofre muito bullying, mas consegue administrar até que muito bem para um garotinho tão novo e que nunca tinha ido à escola!

Os pais e a irmã do August são um show a parte! Incrivelmente amorosos e protetores em relação ao ele, não chegam à chatice de colocar o garoto em uma bolha; toda questão na família é tratada baseando-se em honestidade, respeito e muito amor e simplesmente adorei! Amei também a capa do livro e a divisão dos capítulos, que tem um desenho do personagem que vai falar naquela parte, muito legal!!

O Danilo do Cabine Literária fez uma resenha muito boa e, apesar de também ter adorado o livro, achou-o bem utópico, pois tudo é cor de rosa demais. Eu concordei com ele, mas para mim não foi uma coisa que atrapalhou a leitura, deu aquele gostinho de "vitória", que as coisas aconteceram como deveriam!

Posso ficar aqui eternamente falando de todos os pontos que gostei do livro, então vou terminar por aqui e espero que tenha despertado sua curiosidade! É um livro super fácil e levinho de ler, apesar dos problemas do August, a autora deixou a escrita bem tranquila, até porque é um livro que retrata crianças e elas tem todo um jeito especial de interpretar a vida a seu redor! 

Book-Trailer


Trechos


"A única razão de eu não ser comum é que ninguém além de mim me enxerga dessa forma."
[August]

"Ela disse palavras gentis que, eu sei, era para me ajudar, mas palavras não vão mudar o meu rosto"
[August]

"Meu pior dia, o pior tombo, a pior dor de cabeça, o pior machucado, a pior câimbra, o pior xingamento não são nada comparados ao que o August já passou. A propósito, não estou tentando ser nobre: simplesmente sei que é assim."
[Olívia]

"Passamos tanto tempo tentando fazer o August acreditar que ele era normal, agora ele realmente acha isso. O problema é que ele não é normal."
[Olívia]

"Ele é só um garoto. O garoto mais estranho que já vi, é verdade. Mas só um garoto."
[Summer - amiga]

"É engraçado que exista a palavra "superprotetores" para descrever alguns pais, mas nenhuma para se referir ao oposto. que palavra se usa para pais que não protegem os filhos o suficiente? subprotetores? negligentes? egoístas? péssimos? todas as anteriores. na família da olívia eles dizem "amo você" uns para os outros o tempo todo. não me lembro da última vez que alguém da minha família me disse isso."
[Namorado da Olívia]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela leitura! ♥

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Livros, Resenhas, Vídeos e outras Danis!