março 08, 2015

por Danielli Guirado

Resenha - Conversa: Sejamos Todos Feministas {Chimamanda Ngozi Adichie}

Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 36
Tradutor: Christina Baum
Nota Skoob: 5/5



"Feminista: pessoa que acredita na justiça social, política e econômica entre os sexos."


[Definição de feminista no dicionário e que Chimamanda citou no vídeo]


Como eu tinha comentado na resenha de Anne Frank, comecei bem tarde a entender o Feminismo e a lutar por essa causa, até porque, tirando em casa, eu nunca tive grandes problemas de descriminação por ser mulher e sempre namorei homens que me tratavam com respeito e justiça.

Foi com a leitura ~ essa linda ~ que eu comecei a enxergar que sim, tínhamos conquistado muito já, mas que ainda faltava conquistar muito mais e eu nem imaginava!

"O problema do gênero é que ele descreve o que devemos ser, em vez de reconhecer o que somos"

É engraçado lembrar de alguns pensamentos antigos meus que simplesmente me eram passados e eu só reproduzia. Um deles tem a ver com este dia, 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, e é por isso que eu quis publicar essa resenha hoje! Eu costumava achar que, porque era dia da mulher, eu tinha que ganhar presente do namorado (ficante, rolo) da vez! E até o Vi recebeu umas broncas no começo do nosso namoro! hahaha

Aos poucos fui me questionando: mas por que eu tinha que ganhar presente? O que eu fiz nessa luta, além de nascer mulher? Sabia, pelas aulas na escola, que era dia da mulher porque várias delas queimaram sutiãs em frente a uma fábrica por seus direitos. Mas quais? Porque ninguém falava de fato como era naquela época e o que essas mulheres conquistaram? Não só para elas, como para toda a sociedade? Me dar presentes é um jeito legal de comemorar?

Hoje, acho que um jeito melhor de comemorar a data seja se livrar de pensamentos machistas que crescemos sendo catequizados e nem percebemos. Que tal? Uma crendice a menos a cada 8 de março?

"Se por um lado, perdemos muito tempo dizendo às meninas que elas não podem sentir raiva ou ser agressivas ou duras, por outro, elogiamos ou perdoamos os meninos pelas mesmas razões."

Vou dar uma exemplo: outro dia estava conversando com uma pessoa e ela me contava a mãe de uma conhecida não gostava do genro porque ele não queria estudar, nem trabalhar e vivia encostado na moça. Concordei que era chato ter um encosto assim na vida, mas por outro lado, não sabia da dinâmica do relacionamento de ambos e às vezes eles combinaram que seria assim ~ ele cuidaria da casa e ela trabalharia ~ e ambos estariam felizes! 

E aí me questionei: por que se o homem fica em casa e a mulher trabalha, as mulheres o chamam de folgado? Ué, mas não somos nós que dizemos que o trabalho de casa é tão (e mais até! Digo por mim) pesado quanto trabalhar fora? Se eu ganhasse o suficiente para manter eu e o Vi e ele quisesse cuidar da casa e jogar videogame, super me agradaria! E sei que, se a situação fosse inversa, ele também não se importaria ~ e eu podia cuidar mais do blog, imagina??? Amooor, Projeto Fique Rico 2015! Hahaha

Hoje em dia, já não ligo muito se o Vi me dá presente ou não nessa data. O que eu gosto mesmo, é que eu sou sua parceira! E ele demonstra isso todos os dias do nosso relacionamento, assim como ele é meu parceiro e eu faço o mesmo com ele! Não adiantaria nada ele me tratar mal, não me deixar trabalhar ou estudar, ou querer me controlar o ano todo "porque eu sou mulher DELE" e no dia 8 de março aparecer com flores. Que homenagem à nossa justiça de gênero isso seria?

"Por que ensinamos as meninas a aspirar ao casamento, mas não fazemos o mesmo com os meninos? Elogiamos a virgindade delas, mas não a dos meninos (e me pergunto como isso pode funcionar, já que a perda da virgindade é um processo que normalmente envolve duas pessoas!)"

Fiz toda essa reflexão para te recomendar FORTEMENTE o texto: "Sejamos Todos Feministas", (que você pode baixar DE GRÁTIS! neste link da Amazon!) discurso que Chimamanda Ngozi Adichie promoveu no TEDx Euston e que abre muito nossos olhos, de forma simples e delicada, para a questão do feminismo, o porquê ele é essencial e porque não é um palavrão, uma causa de mulheres que não gostam de homens ou de mulheres que são infelizes em seus relacionamentos.

É simplesmente uma filosofia que defende que todos nós, seres humanos, tenhamos direito a ser quem somos, a viver com respeito e dignidade e a ser felizes! ~ E o texto é super curtinho e gostoso! Você vai ler em uma sentada! ^-^

Depois de ler, veja o vídeo do discurso! É o mesmo discurso, mas a tradução perdeu várias brincadeiras e sarcasmos que Chimamanda fez e que eu achei que fizeram toda a diferença para um entendimento melhor de sua mensagem!! Infelizmente não encontrei nenhuma versão legendada, =[ , mas você pode acompanhar a leitura do livro em português com o vídeo! =D Depois vem aqui me falar o que achou!





Este post faz parte da blogagem coletiva do ROTAROOTS, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Quer participar? Então faça parte do grupo no Facebook.


*
*
*
Vamos conversar mais!! Instagram Facebook ~ YouTube ~ GooglePlus ~Twitter ~ Skoob

Um comentário:

  1. Não conhecia esse livro dela, pior que faz sentido tudo o que ela diz mas não sei o que tem na cabeça das pessoas que elas copiam e repetem tudo errado. Por mais que se explique se fulano disser algo que está totalmente fora do contexto as pessoas usam aquilo para diminuir o feminismo. Enfim, adorei a indicação! Obrigada!

    Maricando

    Beejo!

    ResponderExcluir

Obrigada pela leitura! ♥

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Livros, Resenhas, Vídeos e outras Danis!